• início
  • contato
  • parceria
  • blogroll
  • Livros Resenhados

  • 26/04/2015

    Poema: a esperança

    Olá leitores,

    Fim de semana passou rápido, o meu foi um pouco agitado e o de vocês? Para esse domingo escolhi o poema "a esperança" do Augusto do Anjos. Vamos lá:

    A esperança
    (Augusto dos Anjos)

    A Esperança não murcha, ela não cansa, 
    Também como ela não sucumbe a Crença. 
    Vão-se sonhos nas asas da Descrença, 
    Voltam sonhos nas asas da Esperança.

    Muita gente infeliz assim não pensa; 
    No entanto o mundo é uma ilusão completa, 
    E não é a Esperança por sentença 
    Este laço que ao mundo nos manieta?

    Mocidade, portanto, ergue o teu grito, 
    Sirva-te a crença de fanal bendito, 
    Salve-te a glória no futuro - avança!

    E eu, que vivo atrelado ao desalento, 
    Também espero o fim do meu tormento, 
    Na voz da morte a me bradar: descansa!

    Já conheciam? Gostaram? Qual o trecho que vocês mais gostaram?


    8 comentários:

    1. Não conhecia esse poema, mas adorei! Já anotei uns versos pra refletir (adoro fazer isso kkk)

      Beijos!

      Beleza Mista

      ResponderExcluir
    2. "Vão-se sonhos nas asas da Descrença,
      Voltam sonhos nas asas da Esperança."
      Lindo! Não conhecia, mas gostei muito!

      ResponderExcluir
    3. Augusto dos Anjos é um dos meus escritores favoritos, em poucas palavras ele descreve com clareza e sem delongas tudo, todos os sentidos de um único sentimento.
      Sexo, Fraldas e Rock'n Roll

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Não conhecia os poemas dele, acabei conhecendo para postar aqui, mas adorei.

        Excluir
    4. Augusto dos Anjos sempre certeiro.
      Não conhecia esse e gostei muito.

      ResponderExcluir

    Eu curto literatura. Todos os direitos reservados.© - Powered by Blogger. imagem-logo