• início
  • contato
  • parceria
  • blogroll
  • Livros Resenhados

  • 10/02/2015

    Cinquenta Tons de Cinza (Resenha)

    Olá leitores,

    O livro de hoje é um dos best-sellers mais famosos dos últimos anos, e nessa semana a sua adaptação cinematográfica estreia.
    Embora ele seja o que chamamos de “livro modinha”, eu na verdade resisti por um bom tempo a ler Cinquenta Tons de Cinza, mas acabei comprando o box da trilogia quando o vi por R$ 38,50 no site da Saraiva (aliás, essa foi a minha primeira compra online). Mesmo tendo receio por já saber do que se tratava o livro, a curiosidade e o preço do box acabaram me convencendo de que havia chegado a hora de conhecer a história de Anastasia e Christian.
    A fim de impedir os livros ficassem esquecidos por anos na minha estante, acabei colocando na minha meta de leitura desse ano e me obriguei a lê-los logo em janeiro, já que eu sabia que o filme ia estrear em fevereiro e, caso eu gostasse do livro, ia querer conferir a adaptação já sabendo como terminava.
    Inicialmente, a história me pareceu bem familiar, já que o que vi até mais ou menos as cem primeiras páginas do livro foi uma mulher adulta se comportando como se fosse uma menina de 15 anos por estar deslumbrada pelo carinha lindo e multimilionário. Francamente, atitudes como as da Anastásia na primeira parte do livro parecem mais com as das personagens que encontramos em livros infantojuvenis e chick lit do que com o que realmente esperamos da protagonista de um livro de literatura erótica.
    Outra coisa que incomoda bastante é a passividade com a qual Ana Steele (Anastasia) aceita tudo que lhe impõem, porque não é possível aceitar coisas tão exóticas com tanta naturalidade, como se o universo de Christian Grey e suas preferências fossem a coisa mais trivial do mundo.
    Quanto a Christian, desde o início nota-se que ele não é nada convencional, embora só seja possível entender melhor as razões que o levaram a ser desse modo no segundo livro, que é quando o passado do protagonista é revelado. Entretanto, por mais que ele se esforce para manter sua autoridade de dominador, dá para perceber que Ana não é como as outras submissas e que ele a trata de forma completamente diferente do que está especificado no contrato.
    Considerado praticamente um divisor de águas na literatura de tão endeusado que esse livro sempre foi, pra mim a obra de E. L. James não fica devendo em nada a qualquer livro Young Adult e nem para cenas pesadas que aparecem em novelas e filmes, embora algumas que estão no livro sejam mais pesadas. Entretanto, o fato do protagonista ser adepto de práticas sadomasoquistas é realmente um elemento diferente do que estamos acostumados, e é por isso que esse livro vende tanto, porque o público tem a mesma curiosidade que eu tive de saber como eram os personagens e se o livro era mesmo tão inovador como diziam.
    Sendo assim, o que quero dizer é que a autora desse livro não inventou a roda, não acontece nada de tão extraordinário nele e também não é tão ruim assim, embora esse seja o livro que menos gostei da trilogia. Entretanto, algo que achei bem interessante foi que a autora cita alguns clássicos da literatura e faz ligações deles com a história de Ana e Christian, deixando assim o leitor com vontade de conhecer obras como Tess of the d'Urbervilles, de Thomas Hardy.
    Para quem quiser ler um romance mais apimentado, Cinquenta Tons de Cinza pode ser uma boa pedida por ter alguns momentos interessantes, já que por mais que ele negue, Christian Grey tem um coração. Agora se a sua praia for romances doces, comportados ou então literatura erótica realmente pesada, nem perca seu tempo lendo esse livro.

    E vocês, já leram Cinquenta Tons de Cinza? Pretendem assistir ao filme, que estreia na próxima quinta-feira (12)? Me contem nos comentários.

    22 comentários:

    1. Oii
      Semana que vem vou ver o filme no cinema, estou ansiosa.
      O livro é Ótimo e sua resenha também.

      Estou te Seguindo
      Beijos

      Visite meu Blog clicando aqui♥

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Obrigada :)

        Fui ver o filme essa semana

        Beijo

        Excluir
    2. Débora parabéns pela resenha, adorei saber suas impressões sobre esse livro.
      Assim como vc demorei para ler o livro, deixei baixar a avalanche de comentários para não me sentir influenciada. Mas depois de ver o trailer fiquei mega curiosa e li o mesmo em janeiro.

      Para mim o que mais me envolveu foi a narrativa e a história acabou me apresentou um mundo desconhecido (sadomasô). E achei interessante a forma como cada personagem modifica o outro com a convivência. Mas achei a decisão final da Ana compreensivel porém precipitada pq ela poderia ter conversado abertamente com ele (falta de abertura e comunicação). Agora pretendo ler o segundo ainda esse mês!!!

      Beijos e parabéns pela leitura e resenha!!!!
      Leituras, vida e paixões!!!!

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Essa mudança que um proporciona ao outro é bem interessante, e o melhor é que nos livros seguintes eles continuam desse modo, mas sem que os personagens percam sua essência.
        Eu achei a decisão dela um pouco surpreendente, porque ela ter a reação que teve depois de ter suportado tanto não era algo que eu esperava que fosse acontecer.
        Beijo

        Excluir
    3. Não li esse livro e nem pretendo ler, mas li sua resenha e gostei bastante. Parabéns, você escreve muito bem.
      www.eimeconta.com.br

      ResponderExcluir
    4. Olá! Eu conheci esse livro em 2012 e não tive nem um preconceito com ele, mas o estilo da leitura realmente nãome agradava, a idéia da mulher dominada pelo homem e tal. Até que esse ano, após ler alguns ccomentários sobre o livro, assisti o trailler do filme e estou querendo lê-lo! Provavelmente irei aassistir o filme primeiro. Ótima resenha! Beijos! Apenasumaleitura.blogspot.com.br

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Obrigada :)

        Eu resisti bastante a esse livro, mas gostei da história quando li. Eu acho que se eu tivesse assistido ao filme primeiro ia ter uma opinião diferente, já que muita só foi esclarecida mesmo no livro.

        Beijo

        Excluir
    5. sou meio suspeita pra falar porque eu amei a trilogia, tirando essa parte do sadomasoquismo eu achei que é um livro que relata um romance bem real, como Ana e suas dúvidas, ciúmes, Christian e seus medos e seu passado. Foi um livro que me prendeu demais, chorei, não consegui dormi a noite, tive momentos de ansiedade, etc hahahaha

      www.blogamorarosa.com

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Apesar de eu ter gostado do primeiro livro, ele acabou não me prendendo tanto. Na verdade, eu só passei a ficar animada com o livro no final dele, porque aí eu fui ler Cinquenta Tons Mais Escuros morta de curiosidade para saber o que ia acontecer com eles e a mesma coisa aconteceu com o terceiro livro.

        Excluir
    6. Oie Débora,
      Eu tive a mesma impressão que você da trilogia, não vi nada de extraordinário, nem para ser aclamado e nem para ser tão criticado. Porém o comportamento a Anastasia é realmente de uma menina de 15 anos, e a passividade dela é irritante a maior parte do tempo, sem falar na tal da "Deusa interior" que era extremamente sem noção, mas me rendeu até algumas risadas!
      Beijos
      http://diariodeumalivromaniaca.blogspot.com.br/

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Ainda bem que não colocaram a deusa interior e o consciente dela no filme, porque apesar de ser engraçado, ia ficar bem estranho.
        Beijo

        Excluir
    7. Olá, li o livro já tem tempo e realmente as atitudes, comportamentos e mentalidade da Ana é de uma adolescente de seus 15/14 anos..Ela se torna submissa de um cara bem rico e bonito sem ao menos o conhecer muito bem,a história do livro é bem legal, eu recomendo. Enfim, eu li o livro e quero ir ver o filme esse mês.. beijoss

      http://beatrizconceicao2018.blogspot.com.br/

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Oi,

        O que me deixou mais pasma com essa história foi a naturalidade com a qual ela aceitou tudo desde o início e ainda ficava super deslumbrada com ele. Assisti ao filme essa semana, achei que até que não fugiu muito do livro.
        Beijo

        Excluir
    8. Nunca tive grande curiosidade para ler esse livro e acho que nunca lerei pois não faz meu "estilo de livro" haha. Mas mesmo não tendo curiosidade para ler eu me sinto quase que na obrigação de faze-lo porque quase todo mundo já leu! E eu gostaria muito de ter uma opinião sobre ele, rsrs. Grande dilema! Não pretendo assistir ao filme esses dias mas não descarto a posibilidade de vir a fazer isso.
      Adorei a resenha.
      Beijo
      http://umaleitoravoraz.blogspot.com/

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Obrigada :)

        Realmente é complicado quando todo mundo já leu, mas quando não faz nosso estilo não tem jeito.

        Beijo

        Excluir
    9. Olá! Não pretendo ler o livro, nem ver o filme, pois não faz meu estilo! Mas fiquei curiosa em ler sua resenha e adorei! Vou seguir seu conselho, como sou fã de romance mais comportado, nem perderei meu tempo lendo, já tenho tantos outros livros na fila! Vou ficar com o livro da vez, Inferno de Dan Brown!

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Eu também prefiro os romances comportados, li mais o Cinquenta Tons por curiosidade mesmo, já que ele sempre era muito endeusado ou criticado e iam lançar o filme.

        Excluir
    10. Muito boa resenha. Confesso que tenho certo preconceito por isso nunca li os livros! Até pq eu imagino que eu não vá gostar, e além disso há tantos livros legais para ler que eu prefiro passar Cinquenta tons de cinza!

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Eu também imaginava que não ia gostar do livro e sofro desse problema de ter vários que quero ler rs

        Excluir
    11. Ola! Tainan
      Estou gostando bastante do seu blog.
      Ainda não li 50 tons de cinza. O meu interesse aumentou agora por ele. Li já algumas resenhas, vi vlogs sobre ele. Até uma psicologa comentou comigo sobre a submissão da Anastácia e disse que Christian Grey tinha algumas razões para se comportar assim. A visão e opinião formada sobre o livro só vou ter depois que eu ler mesmo. A sua resenha ficou muito legal e me incentivou ainda mais conhecer o livro. Seu trabalho é muito bacana. Abraços!

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Obrigada

        Realmente existem razões para o comportamento do Christian, mas eu acho que a autora devia ter explorado mais isso no primeiro livro.
        Embora o filme esteja razoavelmente fiel ao livro e ele seja muito comentado por aí, para ter mais detalhes da história e uma opinião formada a respeito só lendo o livro mesmo, então não deixe de ler o livro :)
        Abraço

        Excluir

    Eu curto literatura. Todos os direitos reservados.© - Powered by Blogger. imagem-logo