• início
  • contato
  • parceria
  • blogroll
  • Livros Resenhados

  • 18/11/2017

    Desejados da Black Friday: livros!

    Olá, leitores!

    A Black Friday está chegando, é dia 24/11, por isso preparei a minha lista de livros que eu desejo comprar, focando em terminar as séries que já comecei a ler, vamos a lista:

    Lembrança (série "A Mediadora" volume 7) - Meg Cabot:

    Li os seis primeiros volumes, que até então concluíam a série quando era pré-adolescente, depois de anos a Meg resolveu lançar mais um livro dando continuidade a história de Suzannah e Jesse (personagem que deu o nome ao meu coelho de estimação), apesar de estar relutante com final, já achava bom no volume 6, pretendo ler. 

    Créditos: editora Galera
    Série Os Bridgertons - Júlia Quinn:

    Tenho os seis primeiros volumes, então gostaria de adquirir os dois últimos para completar a coleção desta série maravilhosa de romances de época.

    Créditos: editora Arqueiro

    Ruína de gelo (último volume da trilogia Fortaleza Negra) - Kel Costa:

    Esta é a melhor série de vampiros que já li e é de uma escritora brasileira, só não curti porque vou ficar com capas diferentes, meus dois primeiros volumes são da Editora Jangada depois passou para Ler Editorial que refez a série com umas capas em um estilo bem diferente, que achei bem infantil. Segue as fotos para vocês entenderem:

    Capas da Ler Editorial:

    Créditos: blog Pétalas de Liberdade

    Capas da editora Jangada (as que eu tenho):

    Créditos: blog Overdose Literária

    Acho as da Jangada muito melhores, pena que não lançaram o último volume. Mas o importante é eu completar a coleção. Quais capas vocês gostaram mais? Por que? Comentem.

    Participe do grupo Eu Curto Literatura no Facebook

    Esta é a minha lista de desejados, provavelmente vou comprar mais, mas prometo mostrar aqui tudo. O que estão desejando comprar? Comentem.

    06/11/2017

    Minha Lady Jane, de Cynthia Hand, Brodi Ashton e Jodi Meadows (resenha)

    Olá, leitores!

    Assim que lançou o Minha Lady Jane, fiquei curiosa para ler pois já conhecia um pouco da história de Jane Grey, a rainha dos nove dias. Mas ao contrário do que um imaginei, não é um livro histórico e sim uma fantasia com um fundo histórico, ou seja, ela usa como base os personagens e contexto para criar uma fantasia. Logo no começo da obra as autoras explicam um pouco disso:

    Preste atenção. Mexemos um pouquinho nos detalhes que pareceram insignificantes. E rearranjamos completamente os detalhes mais importantes. Alguns nomes foram trocados para proteger os inocentes (ou não tão inocentes assim, ou talvez simplesmente porque achamos que o nome em questão era péssimo e preferimos o outro nome que inventamos). E adicionamos um toque de magia para deixar as coisas mais interessantes. Então, é sério: qualquer coisa pode acontecer. (página 13)
    Foto: arquivo pessoal


    Na sociedade criada pelas autoras existem os edianos, que são seres humanos capazes de se transformar em animais. Henrique VIII era um, quando ele faleceu Eduardo, seu único filho homem assume, e resolve proteger os edianos dos verdádicos (pessoas normais que são contra eles). Porém ao se ver doente, Eduardo teme que o torno vá para Maria, que é totalmente contra os edianos. Por isso, com o auxilio de um conselheiro, ele trama que Jane Grey, sua melhor amiga e prima, assuma o trono. Para isso, ele casa Jane com um Gê, um ediano que dia é cavalo e a noite um homem normal. Assim, Jane, que já era fascinada por edianos, vivia lendo sobre eles, seria totalmente a favor. 

    Mas qual era a alternativa? Maria ainda era uma verdádica, além de uma verdadeira estraga-trazeres. Bess ainda não tinha uma opinião formada a respeito de edianos. Jane era a única escolha decente para a linha de sucessão real. (página 85)
    - Estou casando minha própria prima com um cavalo. (página 28)

    O livro é dividido em três pontos de vista: Jane, o rei Eduardo e Gê (o cavalo), acredito que cada autora tenha escrito um, visto que temos três autoras e três protagonistas. Mas é muito bem narrado que não podemos adivinhar quem escreveu qual. Sobre Jane, é encantadora, corajosa, teimosa e inteligente. Ah... ela ama ler! Logo, me apaixonei logo de casa. Tem que encarar o futuro de ser rainha e a realidade de estar casada com um cavalo. Eduardo é machista, infantil e com planos malucos. Já Gê é de dia cavalo e de noite humano, o que complica um pouco as coisas hehe. A obra também retrata personalidades conhecidas como Maria Tudor e Elizabeth I (Bess, como é chamada no livro). 
    Apesar de não ser um livro histórico a obra faz menções aos fatos, diversas vezes Ana Bolena é mencionada, senti falta de abordarem Jane Seymour, a mãe de Eduardo. O pouco de fidelidade histórica que tem me agradou muito. Porém a parte dois do livro, cuja observação das autoras é "jogamos o lado histórico pela janela" se tornou arrastada, apesar da minha curiosidade de saber se iam ou não manter o destino da verdadeira Jane, custei a terminar de ler. Vale ressaltar que as autoras pretendem criar o mesmo estilo de livro com outros personagens históricos, já estou curiosa para saber qual o próximo.
    Já leram? Gostaram? Pretendem ler? O que acharam da ideia de misturar história com fantasia? Comentem.

    31/10/2017

    Resenha: Filha da Floresta de Juliet Marillier



    Editora Butterfly
    Fonte: Arquivo Pessoal



    Olá leitores, tudo bem?

    Hoje a resenha é sobre o livro Filha da Floresta, o primeiro livro da Trilogia Sevenwaters. Quem nos enviou o livro foi a editora Butterfly, parceira aqui do Eu Curto Literatura.


    Informações do livro:
    Título: Filha da Floresta
    Autora: Juliet Marillier
    Número de páginas: 607
    Ficção - Literatura Neozelandesa


    Sinopse: 

    O domínio de Sevenwaters é um lugar remoto, estranho, guardado e preservado por homens silenciosos e criaturas encantadas, além dos sábios druidas, que deslizam pelos bosques vestidos com seus longos mantos... Passada no crepúsculo celta da velha Irlanda, quando o mito era lei e a magia uma força da natureza, esta é a história de Sorcha, a sétima filha de um sétimo filho, o soturno Lorde Colum, e dos seus seis amados irmãos, vítimas de uma terrível maldição que somente Sorcha é capaz de quebrar. Em sua difícil tarefa, imposta pelos Seres da Floresta, a jovem se vê dividida entre o dever, que significa a quebra do encantamento que aprisiona seus irmãos, e um amor cada vez mais forte, e proibido, pelo guerreiro que lhe prometeu proteção.


    Juliet Marillier
    Fonte: Arquivo Pessoal

    O livro se passa em primeira pessoa, e isso é muito claro, já que parece que vivemos a vida de Sorcha, a personagem principal. A autora se inspirou na obra dos irmãos Grimm, Os Cisnes Selvagens. O livro possui algumas palavras em Irlandês Gaélico, mas não se desespere, pois existe toda a tradução e a pronúncia correta das palavras logo no comecinho do livro.

    Sorcha é a sétima filha de um sétimo filho, ou seja, Sorcha tem 6 irmãos, todos homens. Ao nascer, a mãe deles morre no parto, e o pai que era uma pessoa super alegre e de bem, com a morte da esposa, torna-se uma pessoa fria e que só pensa em suas batalhas com os Bretões. A filha de Lorde Colum, a sétima filha do sétimo filho que segundo as lendas celtas o sétimo filho (do sexo masculino) é dotado de magia e uma intima ligação com a floresta e, consequentemente, os seres da floresta. Mesmo não sendo homem, Sorcha carrega essa ligação com a floresta e ganha até o apelido de Filha da Floresta.

    Sorcha cresce com seus seis irmãos:Liam, Diardmid, Cormack, Conor, Finbar e Padriac; que tem uma conexão inexplicável com ela, além de todos possuírem poderes e dons. Sorcha é o exemplo de menina super moleca, que anda com os pés descalços e não se importa. 
    livros de ficção
    Fonte: Arquivo Pessoal


    Mas tudo muda quando seu pai, Lorde Colum, resolve casar-se novamente com Lady Oonagh, que o manipula. E logo os sete irmãos percebem o poder maligno dela e tentam salvar o pai, porém Lady Oonagh agiu mais rapidamente e lançou uma maldição nos irmãos, contudo, Sorcha conseguiu escapar da maldição e se escondeu na floresta.

    Para que a maldição fosse quebrada, Sorcha recebe uma tarefa muito complicada, e há de realizar para que a maldição se quebre e seus irmãos sejam libertos. Nesse meio tempo, Sorcha passará por terríveis provações inclusive ser levada para a terra dos bretões na personagem de Lorde Hugh (ou Red), inimigos ferrenhos de seu povo em Sevenwaters.


    livros de romance e ficção
    Fonte: Arquivo Pessoal

    Infelizmente, por pura falta de tempo, não consegui finalizar o livro, e prefiro não contar mais detalhes para vocês, até para deixar uma curiosidade. O livro é maravilhoso, apesar de nas primeiras páginas não te deixar tão curioso assim, mas conforme vai lendo, vai se encantando e se apaixonando pela história. Já que não pude concluir a resenha da maneira que pretendia, vou propor que vocês me contem o que acham que vai acontecer com Sorcha, será que ela vai conseguir? Será que seus irmãos serão libertos? Assim, quem sabe, podemos descobrir juntos e comentar em um outro post? Convido vocês também, a conhecerem a editora Butterfly, que nos enviou o livro.

    O design do livro é muito bonito, não poderia deixar de falar. Trabalho impecável, rico em detalhes. Amei! Esse livro inclusive parece bastante com o Dois Mundos: Tesouros da Tribo de Dana, que já resenhei aqui no blog.



     Me contem o que acharam, e claro, o que vocês acham que vai acontecer no final do livro? Comentem! Um superbeijo e até a próxima. 

    Eu curto literatura. Todos os direitos reservados.© - Powered by Blogger. imagem-logo